© AVANGI CULTURAL

 contato@avangicultural.com | skype: avangi_cultural

  • Facebook | Letras e Becos
  • Youtube | Letras e Becos
  • Instagram | Avangi Cultural

michelyakini@gmail.com

  Writer and cultural promoter. Author of Desencontros (short-stories, 2007), Acorde um Verso (poetry, 2012) and Crônicas de um Peladeiro (short-histories, 2014), he has participated in diverse anthologies, is a columnist for the Jornal Brasil de Fato and Palavra Comum magazine. Yakini also participated in literary events in Argentina, Mexico, Cuba, France, Germany, Spain, Chile and Paraguay.

      Escritor e produtor cultural. Autor de Desencontros (contos, 2007), Acorde um verso (poesia, 2012) e Crônicas de um peladeiro (Crônicas,  2014), participou de diversas antologias, é colunista do Jornal Brasil de Fato e da revista Palavra Comum. Participou de eventos literários na Argentina, México, Cuba, França, Alemanha, Espanha, Chile e Paraguai . 

photo: Sonia Bischain

 
 
Hand-made heart

   There will be great commotion on the day, when he, the biggest star, the people’s hero, the untouchable, takes the reins and tells everybody what they need to hear.

 

   I hope it happens on a Sunday, during a live game, and that he scores three goals: no more, no less. One from a header, one from a penalty and one from a volley. That he gets a standing ovation, even from the rival team’s fans. So then, unanimously, he can say, no mistake!

 

   It will be one of those days, when the journalists line up one behind another to get a quote, to discuss his performance, to ask him if he wants to go to Europe, to give him the man of the match award, on this day the walls will tremble, his voice will be heard.

 

   There will be no referee; no assistant referee to delegitimize him, there will be no coach, no captain with moral advice, no press advisor, and no agent to minimize him.

 

   With the Almighty power, he will spell out what he wants. He will insist on staying in front of the TV cameras of the network with the largest audience, on alive feed to the studio, because he knows that after the goals and affectionate celebrations, the microphones will become vultures over the carcass of news.

 

   On this day, after scoring three goals, after dancing around their arch-rival, celebrating with his heart-shaped hands, he will walk slowly, shirtless, taking it all in, in an illuminated circle in the middle of the pitch and he will wait for the innocent question:

 

   - And so, after you were chosen as man of the match, tell us: For whom were all those kisses and hearts made on your celebrations. Who is the inspiration for this beautiful performance?

   And he is going to say with his head up and looking straight in the eyes of the country:

   - My goals are dedicated to my BOYFRIEND, Apolo. I love you, darling, this game is for you!

Coração feito à mão

   Vai ser um rebuliço tremendo o dia que ele, o craque maior, o ídolo da geral, o intocável, tomar as rédeas da situação e falar pra todo mundo ouvir o que se deve.
 

   Tomara que seja num domingo, no jogo ao vivo, e que ele faça três gols, nada mais, nada menos. Um de cabeça, um de pênalti e um de voleio. Que ele seja aplaudido em pé, até pela torcida adversária. Aí sim, como unanimidade, ele poderá dizer, sem erro!
 

   Será um dia daqueles, em que os repórteres farão fila ombro-a-ombro pra ter sua palavrinha, pra dizer da atuação, perguntar se ele quer ir pra Europa, pra dar o prêmio de melhor da partida, nesse dia ele vai sacudir as estruturas, soltar a voz.
 

   Não terá juiz, nem bandeirinha que anulará sua legitimidade, não terá técnico, nem capitão com conselhos morais, nem assessor de imprensa, nem empresário pra amenizar. Poderoso como o quê, ele dirá o que quer com todas as letras.
 

   Fará questão de ficar de frente pra câmera da emissora de maior audiência, no link ao vivo com o estúdio, pois ele sabe que depois dos gols e das comemorações carinhosas, os microfones serão como urubu cercando carniça da notícia.
 

   Nesse dia, depois de três gols, do baile em cima do maior rival, da comemoração com coração feito a mão, ele vai caminhar lentamente, sem camisa e atenderá a todos, numa roda iluminada no meio campo e vai esperar a inocente pergunta:
 

   — E aí, depois de ser o cara do jogo, fala pra gente: Pra quem foi tanto beijo e tanto coração nas comemorações. Quem é a inspiração dessa bela atuação?
 

E ele vai dizer de cabeça erguida e olhos na retina do país:
 

   — Meus gols são dedicados ao meu NAMORADO, o Apolo. Te amo, meu bem, esse jogo é seu!

Michel Yakini

Text originally published in the book / texto originalmente publicado no livro Crônicas de um peladeiro (2015)

Reverses

this old verse from yore

wants to be chewed

in squint touches

emanates sayings,

but there are those who say it

quiet

long for the pavement

swallowing night dew

hardening the soles

dozes off on the train

bubbles in cups

climbs houses

this old verse from yore

in doses of rage

wants to be flirted with

and without pretensions

drips on itself

to be satiated.

Reversos

esse verso de outrora 
quer ser mastigado 
em toques de soslaio 

 

emana dizeres, 
mas há quem o diga
calado

 

almeja o asfalto 
tragando serenos 
caleja nas solas 

 

cochila no trem 
borbulha nos copos 
escala sobrados 

 

esse verso de outrora 
em doses de ódio 
quer ser paquerado

 

e sem pretensões
goteja em si 
pra estar saciado.

Michel Yakini

Text originally published in the book | Texto originalmente publicado no livro A cor de um verso (2012)