© AVANGI CULTURAL

 contato@avangicultural.com | skype: avangi_cultural

  • Facebook | Letras e Becos
  • Youtube | Letras e Becos
  • Instagram | Avangi Cultural

photo:  Ellen Faria

mjiba.comunicacao@gmail.com

  Writer, journalist, and editor responsible for the of the magazine Agenda Cultural da Periferia. Is founder of Mjiba – Revolutionary Young Woman, that develops actions focused on the role of black and peripheral women. Co-author of Punga (2007), author of Águas da cabeça (2012), and editor of the anthology Pretextos de mulheres negras (2013), and Terra fertile by Jenyffer Nascimento (2014).

 Escritora, jornalista e editora responsável pela revista Agenda Cultural da Periferia. É fundadora da Mjiba - Jovem Mulher Revolucionária, que desenvolve ações voltadas para o papel das mulheres negras e periféricas. Co-autora de Punga (2007), autora de Águas da cabeça (2012) e editora da antologia "Pretextos de mulheres negras (2013), e de Terra fértil, de Jenyffer Nascimento (2014).

 
 
Roots sticking out of the ground
Raízes para fora da terra

My wicks are lit

Roots sticking out of the earth

Bunches of rippened bananas

My harvest, my orchard

Dreadlocks my link

Between past and future

 

My wicks are lit

Freedom on my roads

Reconciliation with my guts

Royalty, I bring in my body my crown

Confronts the standardization

My hair is not merchandise!

 

My wicks are lit

My power, I can’t hide

Masterpiece of my creation

My image in the mirror

My un-spoken words

My un-sung songs.

Meus pavios estão acesos

Raízes para fora da terra

Cachos de bananas maduras

Meu cultivo, meu pomar

Dreadlocks meu elo

Entre passado e futuro

 

Meus pavios estão acesos

Liberdade nas minhas estradas

Reconciliação com as  minhas entranhas

Realeza, trago no corpo a minha coroa

Afronta a padronização

Meus cabelos não são mercadorias!

 

Meus pavios estão acesos

Meu poder, não consigo esconder

Obra de arte da minha criação

Minha imagem no espelho,

Minhas palavras não-ditas,

Minhas canções não-cantadas

Elizandra Souza

Text originally published in the book / texto originalmente publicado no livro Águas de cabaça (2012)

In Self Defense

I am just leting you know, the score will change...

I am already seeing the testicles of those men hanging on a string to dry at the sun

those who don’t know how to behave
Remember the Hairdresser who was killed, the other day,

And the amount of ignored accusations?

That the news became a novel and impunity
There are women killed in every corner of the city...

 

I am just leting you know, the score will change...

On the newspaper headline tomorrow there will be a woman,

with her head high, saying:

- I have killed! And I don’t regret it!

When the TV presenter questions her

she simply will touch up her make up.

She doesn’t want to look ugly when the camera turns back

and focuses on her eyes, on her lips...
 

I am just leting you know, the score will change...

If justice is blind, the cut on on the retina can be accidental
After all, to throw a car in the lake must be normal...

To throw meat to the dogs is casual behavior...
 

I am just leting you know, the score will change...

It is said, that a woman knows revenge

Perhaps she doesn’t kill with her hands, but she has someone slaughering...

Perhaps she doesn’t shoot, but she knows how to poison...

Perhaps she doesn’t pull out the eyes, but she knows how to blind...
 

I am just leting you know, the score will change...

Em legítima defesa

Só estou avisando, vai mudar o placar....
Já estou vendo nos varais os testículos dos homens,

que não sabem se comportar

Lembra da Cabeleireira que mataram, outro dia,
E as pilhas de denúncias não atendidas?
Que a notícia virou novela e impunidade
É mulher morta nos quatro cantos da cidade...

Só estou avisando, vai mudar o placar...
A manchete de amanhã terá uma mulher,

de cabeça erguida, dizendo:
- Matei! E não me arrependo!
Quando o apresentador questiona – lá

ela simplesmente retocará a maquiagem.
Não quer esta feia quando a câmera retornar

e focar em seus olhos, em seus lábios...

Só estou avisando, vai mudar o placar...
Se a justiça é cega, o rasgo na retina pode ser acidental
Afinal, jogar um carro na represa deve ser normal...
Jogar a carne para os cachorros procedimento casual...

Só estou avisando, vai mudar o placar...
Dizem, que mulher sabe vingar
Talvez ela não mate com as mãos, mas mande trucidar..
Talvez ela não atire, mas sabe como envenenar...
Talvez ela não arranque os olhos, mas sabe como cegar...

Só estou avisando, vai mudar o placar…

Elizandra Souza

Text originally published in the book | Texto originalmente publicado no livro Águas de cabaça (2012)