© AVANGI CULTURAL

 contato@avangicultural.com | skype: avangi_cultural

  • Facebook | Letras e Becos
  • Youtube | Letras e Becos
  • Instagram | Avangi Cultural

abcbinho@yahoo.com.br

 

   Poet, author of Postesia and co-author of Donde Miras - dois poetas e um caminho. He is the creator of the Sarau do Binho that has been happening for 12 years ago in southern São Paulo city and also Expedición Donde Miras (cultural walk acro ss Latin America), the Bicicloteca (library on bicycles), the project Postesia (poetry in posts), the project Livro no ponto and Felizs – Feira Literária da Zona Sul. (a literary bookfair).

   Poeta, autor do livro Postesia e coautor do livro Donde Miras - dois poetas e um caminho. É o idealizador do Sarau do Binho que acontece há 12 anos na zona sul de São Paulo e também da Expedición Donde Miras (caminhada cultural pela América Latina), da Bicicloteca (biblioteca em bicicletas), do Projeto Postesia (poesia nos postes), do projeto Livro no ponto e da Felizs - Feira Literária da Zona Sul.

photo: Tally Campos

 
 
Staring
Estreiando

When we debut to someone

Still dont know how to accept the other

Without unaccepting oneself

And the way the other person

Obeys Mondays

Changes triumphantly his precipice

And you who had no hate for rubbish

But witnessed the abandonment

Of every day the same day

Fulfilling your emptiness...

Starts to unlock the smiles

Looks for an timeless afternoon

Wants to inaugurate the infinite

Forget the unfinished pains

Realizes that Sabiá is more September than ever

That ants dont have nights

That life is also made of specks of dust

And that the small things unlimit you

But, with all of that, still forsee

The need to not be sufficient

By the simple fear

That one desire defeats the other

Quando a gente se estréia em alguém

Ainda não sabe como aceitar o outro

Sem se desaceitar

E que o modo como a pessoa

Obedece às segundas-feiras

Muda triunfalmente o seu precipício

E você que não tinha malícia nenhuma para entulho

Mas testemunhava o abandono

De todo dia o mesmo dia

Preenchendo o seu vazio...

Começa a destrancar sorrisos

Busca um entardecer sem calendário

Quer inaugurar o infinito

Esquece as dores inacabadas

Percebe que Sabiá é mais setembro que nunca

Que as formigas não têm noite

Que a vida é também feita de ciscos

E que as coisas pequenas te deslimitam

Mas, com tudo isso, ainda pré-sente

A necessidade de não se bastar

Pelo simples medo

De que um gosto derrota outro

Binho

Text originally published in the book / texto originalmente publicado no livro Donde miras - Dois poetas e um caminho (2007)

Go, go and go

I want to see where this

America unlightens itself

And builds itself

Where it calls itself black

Where it uncolors itself

And demystifies itself

Where it andeanizes itself

And where it unwalks

I want to see

Where the samba is Gardel

Where the tango is Noel

Where the speech is the silence of the Pampas

The Cordillera, the Mantiqueira

Where the iron is the copper

Where Itabira is Temuco

Where Neruda is Drummond

Where the Guaraní is official

Where the Morumbi és La Bombonera

Where Chile is Allende

Where no savior is Pinochet

I want to see I want to see

Where Paraguay won

Where Afonsina turned herself in

Where Brazil becomes more Argentina

Where Uruguay is more Galeano

And where I am more or less Brazilian

I want to see I want to see

30.jan.207

Ir, ir e ir

Quero ver onde essa

América se desmorena

E se constrói

Onde se diz negra

Onde se desmetiça

E se desmistifica

Onde se andina

E se desanda

Quero ver

Onde o samba é Gardel

Onde o tango é Noel

Onde a fala é o silêncio dos Pampas

A Cordilheira, a Mantiqueira

Onde o ferro é o cobre

Onde Itabira é Temuco

Onde Neruda é Drummond

Onde o Guarani é oficial

Onde o Morumbi és La Bombonera

Onde o Chile é Allende

Onde nenhum salvador e Pinochet

Quero ver quero ver

Onde o Paraguay venceu

Onde Afonsina se entregou

Onde o Brasil se Argentina mais

Onde o Uruguai é mais Galeano

E onde eu sou mais ou menos brasileiro

Quero ver quero ver

30.jan.207

Binho

Text originally published in the book | Texto originalmente publicado no livro Donde miras - Dois poetas e um caminho (2007)